Nós dois temos o mesmo defeito...

Saí de casa já sabendo que iria te encontrar.
Fechei a porta e não segui o conselho dela de ficar, caminhei e não escutei o que as ruas me diziam, entrei no ônibus, sentei, sem nem perceber o som das pessoas, que para mim era inaudível.
Assim segui. Só o que pude perceber era o sorriso do sol que se despedia lentamente de mim, a lua que timidamente se aproximava, o som e a cor do vento que me dava boas vindas àquele lugar.
Lugar tão comum e tão diferente naquela tarde.
As árvores pareciam mais verdes, as ruas pareciam mais limpas e mais largas.
Tudo isso eu percebi, tudo isso eu enxerguei, porém não abracei, não notei o quão aquilo era um momento ímpar.
Meus olhos não sorriam, pelo contrário, encharcaram, minha vista foi ficando turva.
Já havia um breve espaço de tempo e de espaço físico. Havia alguns quilômetros, havia uns dois anos.
Mais tudo veio como uma viagem ao tempo, não muito agradável.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Texto do Arnaldo Jabor sobre relacionamentos "modernos"

Meme